Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O IVA na restauração

por Nuno Santos Silva, em 12.10.11

Eu sei que generalizar pode ser injusto, mas a verdade é que o sector da restauração nunca ficou a perder com mexidas nos preços.

Com a introdução do euro os valores foram rapidamente arredondados para cima (por vezes muito para cima) e foram sofrendo aumentos superiores à inflação "para facilitar os trocos" (há 10 anos um café custava 50 escudos e agora é raro encontrar um sítio que cobre 50 cêntimos, 100 escudos, o dobro portanto), não esquecendo os aumentos do IVA que ocorreram, e que determinaram arredondamentos adicionais dos preços.

A acrescer a isto está a evasão fiscal: o sector da restauração é particularmente permeável a situações em que as transacções não são tituladas por qualquer documento fiscalmente relevante, sem prejuízo - claro - de se cobrar à mesma o IVA ao consumidor...

Dito isto, penso que, sendo este sector determinante para o turismo, o Governo poderia trabalhar mais para encontrar uma solução que não penalize este sector verdadeiramente "exportador".

Autoria e outros dados (tags, etc)


50 comentários

De Margarida Bentes Penedo a 12.10.2011 às 18:56

Concordo contigo, Nuno. E acrescento que tenho grandes reticências em relação ao "sector do turismo", particularmente no que se refere à hotelaria. Talvez fosse tempo dos "empresários" portugueses deixarem de pedinchar atenções especiais ao Estado e perceberem que não podem continuar a competir pelos preços mais baixos. O que oferecem é, muitas vezes, umas tascas infectas. Mais valia concentrarem-se na qualidade dos serviços. E interessarem-se pela reabilitação urbana e pelos factores que podem levar os estrangeiros a voltar cá. Em lugar de fugir assarapantados.

De Anónimo a 12.10.2011 às 23:12

Concordo plenamente com a Margarida e o Nuno e só queria acrescentar que se o estado quer realmente receitas é pôr toda a gente da restauração a faturar tudo o que vendem, pois só declaram o que lhes convém, em vez de aumentar o IVA que é bem mais fácil.
Devem os empresários do turismo sim modernizar-se e servir qualidade para termos estrangeiros com dinheiro competindo assim com outros destinos turísticos e não pensarmos que o sol e praia é tudo e que só existe em Portugal, hoje vivemos num mundo global.
Por ironia que pareça Portugal é um dos países da Europa onde se come e bebe muito barato em relação a outros.

De Anónimo a 13.10.2011 às 12:12

Existem numerosas questões, as disparidades das renda exp . alugueres de 1200,00 e outros de 250,00, a falta de inspecção da ASAE , à restaurantes em que a ASAE vai repetidamente e outros nem por isso e todos sabemos que as vezes à tasquinha ali da esquina ou o café onde vamos todas as manhãs quando espreitamos para a cozinha não prima pela higiene. Mas o mais grave é que nenhum de nós toma o café e pede ou nos é dado a factura mas a factura correcta. Portanto meus amigos por vezes a culpa é mesmo nossa que não executamos o nosso direito de cidadão.

De João Faisca a 12.10.2011 às 20:28

Com a alteração prevista do Iva de 13% para 23%, as chamadas diárias (económicas) "deveriam" passar a ter os seguintes preços finais: - Diária de 6,00 euros passa para 6,53 €; Diária de 6,50 €, fica pelos 7,10 € e a diaria de 7,00 € iria passar a custar 7,60 €. Mas já estamos a ver que não vão ficar por aí, tudo indica que haja um "aproveitamentozito" e os preços se venham a fixar, nos 7,00 €, 7,50 € e 8,00 €.
Os arredondamentos são sempre um pouco para cima...

De Gomes a 12.10.2011 às 23:26

Já vi que o que não falta quem queira fazer as contas dos outros, em primeiro lugar á déz anos um café custava 100$ e não 50$ a esse preço só em máquinas automáticas, a restauração até pode arredondar é verdade mas vendo como estão as rendas das casas e a manuten~çao de instalações e ordenados penso que não está nada mal exeptuando algumas exepções porque as há há, e já ninguem enriquece com a restauração dá para viver melhor e ganhar algum pois raramente tem tempo para o gastar.

De Luis Santos a 13.10.2011 às 08:36

nao! antes do euro era 50 escudos sim senhor.. e passou a 50 centimos de um dia para o outro.

De Helena Ferreira a 13.10.2011 às 10:08

No meu tempo, à 10 anos atrás, já pagava 75$00 por um café, e com o euro passei a pagar 0,45€ no mesmo estabelecimento e, após 6 meses de euro, passei a pagar 0,50€!

De Dina a 13.10.2011 às 11:13

Há 10 anos atrás eu também pagava 50$00 por um café. É claro que se o mesmo café fosse tomada numa esplanada, no verão e no algarve, provavelmente até custaria mais de 100$00.
Já quanto à restauração, nós, os que utilizam esse serviço, somos cumplices com a pouca vergonha que anda para aí. Pagamos o IVA que vai direitinho para os bolsos do prestador do serviço, porque por sistema não exigimos a factura. Já me aconteceu pedir a factura e ouvir um comentário muito desagradavel, ao qual respondi, okey, não passe a factura, mas faça o favor de deduzir o IVA ao valor que tenho a pagar. A factura apreceu!

De AT a 12.10.2011 às 21:07

Acho que se tem que ver isto com outros olhos.
A sector da restauração fica a perder e muito com as mexidas nos preços. Já anteriormente muitos restaurantes manteram os preços quando o IVA subiu. Com uma subida de 10%, e tem em conta a crise actual, todos os restaurantes que actualizarem o preço de forma a continuarem com a sua margem, vão fechar, da mesma forma que os que não vão actualizar em 10%, e se vão tentando aguentar com o tempo. Mas isto são restaurantes pequenos claro.
Quanto a evasão fiscal, é verdade que muitos restaurantes o fazem, e não deviam, mas questiono-me se um casino passa facturas alguma vez, ou se num hipermercado ou num IKEA ou outra loja do género, sempre que quero factura, tenho que me dirigir ao chamado "Balcão Central" em que se fica numa fila a espera, de forma a desmotivar o cliente de lá ir, para evitar factura.
Vejo é uma perseguição aos restaurantes (e muitos deles merecem), mas acho que há outros sectores que têm uma fuga muito superior, e nem sequer são mencionados.

De ANA a 12.10.2011 às 22:27

Concordo com o João.Os acertos que fazem com as alteraçoes do iva nunca os deixa a perder.

De AT a 12.10.2011 às 23:01

Eu não concordo. Já frequentei um curso de gestão hoteleira e leva-me a discordar totalmente do seu pensamento: "nunca os deixa a perder".
Vejo muita gente a dizer que os restaurantes ganham muito, porque não abrem um?

De Anónimo a 12.10.2011 às 22:59

Hoje em dia, num hipermercado já não necessita de se dirigir a caixa central para lhe passarem uma factura, é sim passada na caixa onde efectua o pagamento desde que tenha consigo os dados de identificação(NIF), caso contrario, e ai sim tem 5 dias para se dirigir à caixa central.

De AT a 12.10.2011 às 23:04

Certo, tem razão no que diz, mas eu expliquei-me mal.
O que estava a dizer, é que os restaurantes são obrigados a passar factura acima de 9,98€, é a lei. Eu gostava que fosse obrigado sempre, tanto nos restaurantes, como nos hipermercados e por aí, em que têm uma fatia do bolo bem superior com trabalhos precários na maioria das vezes. Mas ai, já se vai fechando os olhos. Acho que Portugal precisa de ser muito mais justo.
Mas está correcto o que diz, com excepção do IKEA, AKI e etc, em que temos que ir ao Balcão Central, ou avisar antes que queremos factura, é ridiculo.

De eu a 13.10.2011 às 10:11

Viva,
Não é só as facturas que significam pagamento de IVA ao estado!
Os talões que digam "venda a dinheiro" servem na mesma.
Todos os talões emitidos pelas registadoras dos hipers não permitem fuga ao estado!
Tudo o que seja sistemas informáticos (não são caixas registadoras daquelas de tasca/mercearia!) não permitem fuga do IVA.
A única hipótese de quem utiliza programas informáticos actuais é utilizarem um programa paralelo, igual, onde fazem as vendas como verdadeiras mas na realidade são falsas porque nunca foram registadas no programa verdadeiro...

De paulo a 12.10.2011 às 22:43

eu só queria referir que um café em 2001 custava 80 escudos,e não 50 escudos como o Nuno referiu,quanto a evasão fiscal todos o fazem, advogados, jornalistas, padres,politicos"desviam" etc...bem haja

De Anónimo a 12.10.2011 às 22:56

O café em alguns sitios nem 50 escudos custava, mas sim 45 escudos.
Possivelmente o Sr. toma café em locais muito sofisticados.
Acho muito bem que controlem mais este segmento de mercado, visto que desde que entrou o euro, os empresarios da restauração viram o seu nivel de vida subir à custa dos ajustes, se custava 50 escudos passa a 50 cêntimos.
Mas tambem concordo que existe outro tipo de comercio a necessitar de fiscalização urgênte!!!

De AT a 12.10.2011 às 23:12

E em muitos casos até menos que 45 escudos.
O preço varia muito da procura e do local. Houve um aumento significativo na entrada do euro em todos os mercados, mas sentiu-se mais na área da alimentação, não fosse este um bem essencial.

Sim, muitas empresas e empresários desviam dinheiro, mas isso já está no sangue do "tuga", basta começar um, que o outro faz o mesmo, é a mentalidade que temos.
Se fosse na Suiça, quem fugisse era visto como a ovelha negra, cá é o contrário, é o maior da aldeia...

De jose a 12.10.2011 às 23:15

50 ou 80 tanto faz! segundo um amigo dono de um estabelecimento um café rende + ou - 300%.
nesta coisa dos arredondamentos para cima tenho comigo um bom exemplo, antes da entrada do euro eu comia quase todos os dias no período pós laboral (biscate) uma sandes que me constava 120 escudos, depois da entrada do euro a mesma sandes passou a custar 1 euro, vejam só o arredondamento que foi feito. dez anos passados e a mesma sandes continua a custar 1 euro, dá para ter uma ideia do quanto a restauração tem ganho todos estes anos.

De Anónimo a 13.10.2011 às 02:48

Caro José, um kg de café, por exemplo um buondi lote ouro custa uns 21€. Com a máquina bem afinada esse kg da umas 175 doses, pelo que cada café em matéria prima fica nuns 0,12€. Mas o resto nao é lucro, tem de tirar uma parte para agua, luz, funcionários, renda do estabelecimento, seguros, haccp, higiene e segurança no trabalho, contabilista, amortização do investimento, taxa de resíduos, direitos de autor, manutenção de equipamentos, detergentes, papel higiénico e toalhas de mão nos wc... Continuo? Ao fim veja se o lucro é de 300%. ok, foi o seu colega que disse, mas isto é como em qualquer negocio, existe muitos nabos á frente de estabelecimentos de restauração e bebidas...

De josé Silva a 13.10.2011 às 10:24

Gostaria muito de saber que contas é que o seu amigo faz, par dizer que um café rende 300 por cento. Ele até pode dizer 1000 por cento, agora tenho de lhe perguntar se tambem acredita no pai natal... e depois pergunto se sabe fazer contas? Olhe que não é dificil. Basta pegar no lápis e juntar renda do estabelecimento,eletricidade,agua,manutenção do equipamanto,e produtos de limpeza para a lavagem das chávenas além da margem ,( sim porque ninguem anda cá a trabalhar de borla não é?) e então vai ver onde andam esse famosos 300 por cento...

De Sergio a 13.10.2011 às 10:56

Independentemente das margens de lucro convém não esquecer das ofertas "á margem" que as marcas de café oferecem a estabelecimentos com grande rodagem de café para que mudem de marca, só para ter a noção sei de casos em que ofereçeram um carro á escolha apenas para trocar, e para quem pergunta como conseguem é fácil, depois durante o contracto facturam café do mais caro mas o que vêm é do mais barato.

De carloscevada a 13.10.2011 às 00:27

Com a entrada do euro uma sandes passou a custar 1 euro e ainda custa um euro??? Isso é uma grande mentida, pois evito tomar sandes que custam actualmente entre 2.50 e 4.50 euros conforme o local.
Não compreendo porque dois estabelecimentos de restauração perto um do outro têm diferenças superiores a 1 euros nas sandes iguaisinhas, sem tirar nem por.
E um sumo compal??? varia entre 1.20 euros e 2.80 euros em estabelecimentos perto um do outro. Porquê???? Tanto no caso da sandes e do sumo compal, o que é que o mais caro tem que o outro não tem, sendo iguaisinhos. A diferença é que há proprietários que andam en carros de luxo, casas de luxo, viagens de luxo, filhos em colégios de luxo e outros não vão por esse caminho de corrupção e ladroagem. Qual a diferença entre quem rouba autorizadamente e quem rouba desautorizadamente??? o primeiro goza com todos, o segundo vai preso, porque às tantas nem alimento tinha para esse dia. Isto não é um país é uma organização de gatunos que rouba a população utente desses serviços exageradamente caros. Agora com o iva a passar de 13 % para 23 % ainda ganham mais 10 %, pois não passam factura e o IVA está incluído. Gatunos, ladrões!!!! E depois dizem que vão fechar os estabelecimentos!!! Qual quê, com mais 10 % de lucro que é que fecha???

De Manuel a 13.10.2011 às 00:31

Concordo com isso.

De Quinzinho-Famões a 13.10.2011 às 00:40

Concordo com o que o Alberto disse... Eles vão ganhar mais 10% porque não vão entregar o IVA ao estado. Ninguém passa nem factura nem tiket . Se já ganhavam 13 % a mais agora vão ganhar 23 % a mais. Só isso justifica os carros, casas piscinas, viagens, almoçaradas de luxo, ou não sabiam??? Abram mas é os olhos!!! Que paguem que eu também pago. Mas eu pago mesmo, porque não me dão factura e eles não vão pagar o UVA ao estado porque não passaram a factura. Isto é maravilha.... é só roubar. E depois os filhos têm escalão A, livros de borla. Almoços de borla e os pais a levá-los à escola em carros de luxo, um em cada dia. Andam cegos ou quê!!!!!!!!!

De Pedro a 13.10.2011 às 02:33

NAo tinha ideia da quantidade de gente frustrada qu existe neste pais...

De Dina a 13.10.2011 às 11:28

Enganou-se no adjectivo. É gente roubada, muita gente roubada que existe neste País.

De manuel a 13.10.2011 às 17:23

O SR DE QUINZINHO O SR GOSTAVA DE ESTAR NO ESCALÃO A DO IRS TER LIVROS DE BORLA CARROS DE LUXO TER TEMPO PARA LEVAR O SEU FILHO A ESCOLA GRANDES ALMOÇOS ISSO E FAÇIL BASTA ABRIR UM NEGOCIO E COMEÇAR A TER ISTO TUDO EU POSSO VENDER O MEU SE ESTIVER INTERESSE EM TER UMA BOA VIDA COMO O SR DIZ PQ NÃO TENTAR LEVAR UMA VIDA COM TANTOS PRIVILÉGIOS DIGA-ME ALGUMA COISA PQ EU JA ESTOU FARTO DE BOA VIDA

De manuel a 13.10.2011 às 01:00

Sr Carlos se os senhores da restauração ganham tanto dinheiro assim como o sr faz essas contas pq não abre um negocio ,digo-lhe mais o Iva e pago pela folha de caixa e não pelas facturas que são imitidas

De Dina a 13.10.2011 às 11:23

E já agora, vai tudo para a folha de caixa? duvido! É que se é como diz, porque é que quando trazem a conta o Tickect diz "este documento não serve de factura". Porque é que não trazem logo a factura ou venda a dinheiro?

De manuel a 13.10.2011 às 17:00

BOA TARDE EM RESPOSTA Á SUA AFIRMAÇÃO EM DIZER SE VAI TUDO PARA A FOLHA DE CAIXA EU PASSO A EXPLICAR QUANDO SE DIRIGE A UM ESTABELECIMENTO E ESTE DA-LHE O TALÃO DE CAIXA FICA TUDO REGISTADO E INDIFERENTE SE DIZ VENDA A DINHEIRO OU NÃO SERVE DE FACTURA ISTO E TUDO UMA FORMA DE POUPAR PAPEL PARA QUE NAO TENHA DE IMPRIMIR OUTRO TALAO COMO PODE VIR DISCRIMINADO VENDA A DINHEIRO OU FACTURA/RECIBO

De manuel a 13.10.2011 às 17:07

E MAIS AINDA UM REPARO NÓS DA RESTAURAÇÃO SÓ SOMOS OBRIGADOS A PASSAR FACTURA A PARTIR DE 9,95€

De Manuel Vaz a 13.10.2011 às 02:00

És de esquerda. De certeza. Abraço

De Alberto a 13.10.2011 às 00:33

Com a entrada do euro uma sandes passou a custar 1 euro e ainda custa um euro??? Isso é uma grande mentira , pois evito tomar sandes que custam actualmente entre 2.50 e 4.50 euros conforme o local.
Não compreendo porque dois estabelecimentos de restauração perto um do outro têm diferenças superiores a 1 euros nas sandes iguaizinhas , sem tirar nem por.
E um sumo compal ??? varia entre 1.20 euros e 2.80 euros em estabelecimentos perto um do outro. Porquê???? Tanto no caso da sandes e do sumo compal , o que é que o mais caro tem que o outro não tem, sendo iguaizinhos . A diferença é que há proprietários que andam em carros de luxo, casas de luxo, viagens de luxo, filhos em colégios de luxo e outros não vão por esse caminho de corrupção e ladroagem. Qual a diferença entre quem rouba autorizadamente e quem rouba desautorizadamente ??? o primeiro goza com todos, o segundo vai preso, porque às tantas nem alimento tinha para esse dia. Isto não é um país é uma organização de gatunos que rouba a população utente desses serviços exageradamente caros. Agora com o IVA a passar de 13 % para 23 % ainda ganham mais 10 %, pois não passam factura e o IVA está incluído. Gatunos, ladrões!!!! E depois dizem que vão fechar os estabelecimentos!!! Qual quê, com mais 10 % de lucro que é que fecha???

De Pedro Silva a 13.10.2011 às 00:58

Bom, é assim, os meus pais trabalham em hotelaria enquanto patronato há cerca de 35 anos e posso passar o meu testemunho daquilo que sei. Os meus pais nunca fizeram fuga ao fisco, alias, há cerca de 9 meses a ASAE fez uma visita surpresa e a única coisa que atrofiaram foi pela falta de um tal de projecto acústico, acho que é assim que se diz, o que até é ridículo para um restaurante que fecha as 20h. Agora é assim, os meus pais não tem um ferrari, tem um honda de 2005 lol, não temos uma vivenda de luxo, tem uma casa em corroios embora o restaurante seja no centro de lisboa, agora, conheço um caso de um ex-socio do meu pai que no restaurante dele fez fuga fiscal, acho que até tinha um software qualquer na caixa que fazia uma cena qualquer, não sei bem, sei que um dia apareceu a ASAE e voilá, ta com uma divida fiscal neste momento de 400.000€, mas para estas situações é que existe a ASAE e a policia em geral, para controlar estas situações, agora, pagarem os justos pelos criminosos acho incorrecto e este possível aumento do IVA é um terror, os meus pais tiveram uma baixa no negocio desde junho de 2011 que não foi brincadeira e só de pensar que o IVA poderá mesmo aumentar é terrível. Acerca dos preços, no restaurante dos meus pais o valor médio por refeição ronda os 6€/7€ e o café é 0,55cent o que para um restaurante no centro de Lisboa roça o limite possível, se com estes preços bastante acessíveis já é bastante complicado ter lucro, principalmente desde de junho de 2011, não quero imaginar com um aumento substancial do IVA, acho sinceramente que se o Governo quer cortar nas despesas sem por em causa o futuro de sectores importantes como é o caso do comercio deveria explorar outras situações para além desta, estamos a falar dum sector que já esta em muitos casos a "rasquinha" e que emprega muita gente mesmo.

De Pedro Machado a 13.10.2011 às 02:20

NAo percebo como há tanta gente no desemprego, ou pessoas que nAo são felizes no seu emprego, abram um restaurante, isto dá muito dinheiro e sempre podem fugir ao fisco... Quando se fala em fuga ao fisco o sector da restauração vem sempre á baila, mas ninguém se lembra do canalizador, do amigo que vai lá a casa pintar por um preço á maneira, o jardineiro, a senhora que faz limpezas a casas e escadas e acumula este rendimento com um apoio social, oficinas de mecanica, explicaçoes, muitos professores a ganharem fortunas com explicaçoes, grandes empresas de retalho que obrigam os clientes a levantar a fatura na caixa central, decatlon, leclerc, ikea... E poderia enumerar centenas de casos.
A fuga ao fisco existe em todos os sectores, não é um exclusivo dos restaurantes. Faça- se mais fiscalização.
Quanto alguns comentários mesquinhos sobre os preços dos produtos oferecidos nos estabelecimentos, muitas vezes o preço reflete uma serie de serviços que faz parte da oferta do estabelecimento, localização, horário, rapidez, limpeza, qualidade, decoração, extras... Se acham que o local que frequentam cobra de mais tendo em conta o que oferece, então de que estão á espera, troquem de local. Isto é como outro negocio, devem usar aquele que vós oferece melhor relação preço qualidade e os que nAo andarem da perna fecham. Agora não é justo milhar de empresários serem constantemente confrontadoscom este tipo de comentários, parece que somos criminosos. Eu hoje fiz 13horas de trabalho e amanha repito mesma dose e trabalho fim-de-semana...

De santos a 13.10.2011 às 05:07

Qualquer dia vamos acabar todos na SOPA dos POBRES !

De FR a 13.10.2011 às 10:03

Tenho um estabelecimento em Viana, em frente a um pequeno Restaurante/Tasca. Eu vejo-me GREGO para pagar IVA,s e S,. Social, água, luz. telefone, etc. Chego a fazer facturas de 1€. Se fizer as contas, ao papel A4 em triplicado, á tinta da impressora, à luz, e ao tempo gasto a fazer a factura, o que ganhei? Já me queixei nas finanças, da injustiça que é ver a tasca a "facturar" seguidinho e sem impostos. Disseram-em p escrever ao Ministro das Finanças. Eu? Então o serviço de finanças de Viana não pode investigar? Que país é este? Anda metade a pagar p outra metade. Miséria de país.

Comentar post


Pág. 1/3



"Aqui importa-se tudo. Leis, ideias, filosofias, teorias, assuntos, estéticas, ciências, estilo, modas, maneiras, pilhérias, tudo vem em caixotes pelo paquete. A civilização custa-nos caríssimo, com os direitos de Alfândega: e é em segunda mão, não foi feita para nós, fica-nos curta nas mangas..."
Eça de Queiroz, in Os Maias




Comentários recentes

  • Swonkie

    Olá :) Enviamos um convite para o teu email. Caso ...

  • silva

    Como é possivel não cair! Se a corrupção que segun...

  • silva

    Como é possivel não cair! Se a corrupção que segun...

  • batidasfotograficas

    Para terem mais tempo para a família! Seria bom qu...

  • Tiago Sunzu

    Obrigado pelo seu comentário construtivo e com tan...




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D






+18314 até 8.8.11 no Blogspot